Article

lock Open Access lock Peer-Reviewed

0

Views

ARTIGO ORIGINAL

Substituição valvar por válvula aórtica homóloga conservada em glutaraldeído: estudo multicêntrico

José Ernesto SucciI; Ênio BuffoloI; Cláudio A SallesII; Ivan S. Joviano CasagrandeII; José Vanderley NetoIII; José Telles de MendonçaIV; Roberto Vestri FilhoI; Ignacio A JaramilloI

DOI: 10.1590/S0102-76381986000200005

RESUMO

Dado o bom resultado com a utilização das válvulas de tecidos biológicos convervadas em glutaraldeído, os autores realizam um estudo multicêntrico, com o objetivo de analisar os resultados das válvulas aórticas homólogas montadas em suporte e também conservadas em glutaraldeído, processadas industrialmente. São estudados 63 pacientes, operados de setembro de 1984 a fevereiro de 1986, com idades variáveis de 7 a 64 anos, sendo 28 deles (44,5%) com idade inferior a 15 anos. A mortalidade hospitalar foi de 1,6% e não relacionada à utilização da prótese homóloga. Nos 62 pacientes restantes, o seguimento pós-operatório variou de 1 a 17 meses, num total de 454 meses/pacientes. A única complicação observada foi um caso de endocardite infecciosa por Candida albicans, no segundo mês de evolução, e em paciente portadora de candidíase vaginal que necessitou de reintervenção para substituição da prótese. Os demais pacientes apresentam-se bem, em tipo funcional 0 ou I da NYGA, acreditando os autores que se possa esperar um melhor resultado dos tecidos homólogos em relação aos heterólogos, dada a sua menor antigenicidade.

ABSTRACT

Due to good results obtained with glutaraldehyde preserved heterologous biological valves, the authors are performing a multicentric trial for the purpose of analysing the results of industrialized stentmounted glutaraldehyde preserved aortic homologous valves. We studied 63 patients, operated on from February 1984 to February 1986, with ages varying from 7 to 64 years (28 of them 44.5% less than 15 years old). Hospital mortality was 1.6% and was not related to the prosthesis. In the 62 remaining patients follow-up has ranged from 1 to 17 months in a total of 454 mo/patients. The only observed complication was one case of acute endocarditis. (Candida albicans) on the second postoperative month in a patient who had vaginal candidiasis and in whom a replacement was done. The other patients are doing well, all NYHA class II. The authors expect that homologous valves will be better on a long term basis than its heterologous counterparts.
Texto completo disponível apenas em PDF.

REFERÊNCIAS

1. BUFFOLO, E. - Substituição da valva aórtica ou mitral por valva aórtica homóloga monlada em suporte. São Paulo, SP, 1973. (Tese de Doutoramento - Escola Paulista de Medicina)

2. GIMENES. A. C.; BUFFOLO, E.; FORTE. V.; ANDRADE, J. C. S.; GODOY, M. F.; SUCCI, J. E.; GIMENES, V. M. L.; CURY Jr., A. J.; GALLUCCI. C. - Resultados tardios (mais de 5 anos) de pacientes portadores de valva aórtica homóloga monlada em suporte na subsliluição das valvas cardlacas. Rev. Bras. Med., 33: 46-51 . 1976.

CCBY All scientific articles published at rbccv.org.br are licensed under a Creative Commons license

Indexes

All rights reserved 2017 / © 2021 Brazilian Society of Cardiovascular Surgery DEVELOPMENT BY